A pergunta frequente que mefazem quando encontro alguém durante minhas viagens é: Você viaja sozinha? Vejo uma perplexidade em relação de se viajar sozinho, e muito mais quando isso é feito por uma mulher.

Até posso entender um pouco essa surpresa já que a maioria das mulheres não são de aventurar-se mundo afora sozinhas. Muito ainda pelo padrão de comportamento, por não querer sair da zona de conforto e também pela insegurança do que podemos enfrentar mundo afora.

A minha primeira experiência foi ir morar na Irlanda, em Dublin, para fazer um intercâmbio de inglês e morando lá por 6 meses. Uma coisa é viajar a turismo, outra coisa completamente diferente é morar por um tempo na região e poder viver como um nativo.

Eu vinha adiando esta decisão de partir para essa aventura arrumando sempre vários motivos e desculpas para não fazê-la, ora não tinha tempo ou achava outra maneira de usar o dinheiro reservado. Mas a principal razão mesmo era o medo de enfrentar uma coisa nova e sozinha. A velha historia de não querer sair da zona de conforto.

Por fim, resolvi enfrentar meus medos e receios e partir para a jornada. Foram várias situações enfrentadas que a maioria das pessoas que já possuem uma vida estabilizada financeiramente como eu não admitiria passar. Ter que estudar com a maioria dos alunos jovens que ainda nem sabem o que querem fazer de suas vidas. Ter que dividir a moradia com várias pessoas (cheguei a dividir uma casa com 35 pessoas) e não ter mais a sua tão preciosa privacidade.

Apesar de todos esses desafios e privações ainda assim não me arrependo, pois foram momentos de grande aprendizado, chegando a perceber que para mim, mesmo tendo aberto mão de todo o conforto que conquistei, foi muitas vezes mais fácil para enfrentar as dificuldades do que os jovens, muito acredito pela maturidade que eles ainda não atingiram.

A partir daí foi o ponto inicial para não querer mais parar de procurar por novas experiências.

Acredito que o receio maior das pessoas em não quererem viajar sozinha é ter medo de não dar conta de enfrentar os problemas que poderão surgir, porque mesmo que você se programe para a viagem, imprevistos aparecem, situações inusitadas podem surgir e você vai ser obrigada a enfrentar e resolver.

Isso é um ponto muito positivo a meu ver, pois isto faz com que você descubra potenciais que você nem imaginava possuir. Viajando sozinha lhe proporciona a incrível oportunidade de conhecer-te em todos os aspectos: você descobre os seus limites, as suas carências, as suas fraquezas e os seus pontos fortes. É como você fizesse uma viagem no seu interior.

Você tem o seu momento de solitude o que lhe dá oportunidade de fazer uma reflexão das suas prioridades e fazer as devidas mudanças em busca de atingir o seu estado de plenitude.A partir daí você descobre que você consegue.

Ballintoy – UK



Share:
Written by Dealage
I´m a Brazilian traveller that love travel around to meet new people and learn more about different cultures.